sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012


02/02/2007
Senhor! Sempre que desejo conversar contigo para narrar os últimos acontecimentos sinto necessidade de abaixar-me mentalmente diante de ti por saber não ser a criatura maior que o Criador e, assim sentir-me plena e deixar fluir o que emana das minhas entranhas.
Desta feita Senhor, enviaste-me com responsabilidades diferentes de outras tantas perdidas pelos séculos. Agora, aqui encontro-me como instrumento para derrubar alicerces mal estruturados e acima de tudo mascarados com massas de pouco valor ou valor nenhum por terem sido erguidos em cima de valores não compatíveis com a verdade deixada por aquele que é a luz deste mundo e que foi enviado para deixar bem claras as verdades do Pai e que por vezes incontáveis deixou que alguém crescesse e ele se abaixasse cada vez mais no intuito único de desafiar o poder de César, o todo poderoso segundo o seu modo de ver e de avaliar, quando na verdade poderoso só o Pai, nós outros somos pequenos grãos de areia necessitando ser empurrado pelo vento para que então alcancemos as alturas amontoando-os um a um através do esforço próprio preenchendo lacunas e lacunas para que um dia nada mais reste desse vazio criado por aqueles que se intitularam detentores das verdades quando o que ocorria era algo bem diferente era pura falsidade, pura traição, que fizeram com que fosse levado ao madeiro aquele que veio para mostrar o caminho da salvação a tantos quantos desejassem segui-Lo exercitando o que propagava aos quatro ventos sem deixar que um iota se perdesse no vento da ignorância e da insensatez por saber que adiante todos seriam recolhidos e formariam um só capítulo que engendraria o maior espetáculo já observado pelos humanos, uma vez que, o espetáculo seria apresentado por alguém que nada devia e que por não dever tudo sabia; sabia do ontem, do hoje e do amanhã e assim se permitiu ser julgado por aqueles que nada sabiam, apenas se iludiam pensando que detinham todo o poder quando o verdadeiro poder pertence ao Pai, criador de tudo e de todas as coisas, eles apenas detinham o poder temporário que manipulava as massas oferecendo em troca lugares inexististes e fantasmagóricos, pois quando o inesperado acontecesse tudo viraria cinzas e, esses, fariam parte dessas mesmas cinzas sem que possível fosse recolhê-las em vidro mesmo que desejassem por não saberem a quem pertenciam.Os fantasmas do poder corroíam a todos os que se diziam perseguidos, quando na verdade o perseguido era bem outro. O ouro, a prata e tudo o mais de tesouros que possuíam se perderam, mas, se tivessem colocado os seus tesouros onde estivessem os seus corações nada teriam perdido, pois estariam para sempre nas suas consciências.
As rogativas foram muitas após o acontecimento, mas nada pôde ser feito para evitar tantos sofrimentos por estarem colhendo o que plantaram. E, se assim não fosse não poderiam se lastimar adiante por conta das tantas atrocidades cometidas através dos tempos perdidos pelos séculos, afinal haviam entregue aquele que foi e sempre será a luz deste mundo. Os frutos do plantio feito vieram após os sofrimentos terem acabado, por haverem desfrutado do favo de mel das mais belas flores que foram regadas com gotas dos sofrimentos por eles mesmos causados.
E, por isto, aqui nestas narrativas estão presentes fatos inerentes a esses acontecimentos por fazerem parte das tuas vivências através dos séculos. E, destorcidos foi, a maioria deles por ter sido com o intuito único de desbravar horizontes que longe estavam de serem verdadeiros e reais, pois fantasiados foram de acordo com a vontade daqueles que desejavam vestir-se de alegorias as quais satisfizessem aqueles que representavam o poder de César. Mas o poder longe estava de pertencer a ele, tudo era pura ilusão daqueles que desejaram ser maiores que o Criador esquecendo que a verdade era bem outra. O poder que defendiam era ilusório e passageiro. Desejavam derrubar aquele que por Ele foi enviado para propagar a Sua palavra, mas não conseguiram, pois o que conseguiram derrubar foi à prepotência que se envolvia em tecidos sedosos e brilhantes os quais exibiam com tanta arrogância para que aqueles a quem chamavam de subalternos se sentissem cada vez mais inferiorizados e sentissem que os seus lugares eram nas galerias imundas, onde só a lama lhes faziam companhia.
No entanto, enlameados estavam todos esses que assim pensavam, pois se embebiam na lama formada por eles mesmos e todos faziam parte do mesmo lodaçal do poder. O poder corrói os homens e todos os que faziam parte dele naquela época compartilhavam do mesmo pensamento: Destruir o homem causador de tantos escândalos e tantas tragédias, pois a partir do dia em que pisou naquela terra muitos foram trucidados por se dizerem seus seguidores e defendê-lo com suas próprias vidas sem que remorsos algum sentissem e, muito menos medo, pois sabiam que teriam a vida pela frente e, ao Seu lado, no porvir que se fazia brilhante e radiante como um alvorecer de um dia de verão. Morrer por uma causa justa valia a pena e o Justo não seria entregue por eles, diziam muitos, e os escondiam da forma que podiam, desde que não fosse colocada em risco a vida daquele que veio para ser o propagador das verdades eternas.
Mas, dentre os que O defendia existia alguém que fazia parte dos indecisos, ora apoiava, ora duvidava e ora sentia uma vontade imensa de resolver a questão de forma rápida para que tudo se realizasse dentro do que esperava e, então, desejando acelerar os acontecimentos entregou aquele que nada devia ao poder temporário e após alguns dias descobriu que não era o que pensava ser aquele com quem negociou que, era sim, mais um detrator e traidor.
Traiu e foi traído por conta da incerteza, pois se derrubasse César através das armas teria chance de manipular aquEle a quem dizia seguir e seria o novo mandatário tendo a seus pés todos que desejasse, inclusive, o que se dizia Salvador, pois pregava a liberdade.
Adiante descobriu que caiu a mais dura das quedas, pois concluiu que aquele a quem traiu era verdadeiramente o Salvador para tantos quantos desejassem segui-LO exercitando o que deixou no seu Evangelho de luz e de amor.
A partir daquele dia em que foi levado ao madeiro aquele que foi enviado para propagar o seu Evangelho de luz e de amor nunca mais aqueles que o seguiam na época se sentiram sós, pois, Ele ao ressurgir para todos a olhos nus, deixou a prova da continuidade da vida após a morte tão discutida e temida para muitos. No entanto até os dias atuais muitos são os que ainda continuam iludidos com as promessas do renascer no mesmo corpo de carne quando isto seria ir de encontro às leis naturais, uma vez que, tudo que morre impossível é retomar a forma original, dará sim, surgimento a novos tipos de vida.
Aquele que O traiu, sentiu-se perseguido pela sua própria consciência durante séculos e séculos descobrindo adiante ser seu próprio perseguidor, que ninguém o perseguia.
Até que um dia ao despertar estava diante de um sol majestoso que igual jamais tinha visto era aquele que iluminava a todos, era a luz do mundo, era o Salvador, era aquele a quem havia traído e que só amor tinha lhe concedido. Mas, diante de tal acontecimento só poderia cair de joelhos e pedir-lhe perdão, no entanto, Ele estendeu suas mãos luminosas e disse: Levanta-te a anda, pois foi para este fim que o Pai Criador te concedeu a oportunidade da reencarnação e, se permaneceres caído não poderás dar continuidade a obra que precisas empreender, pois, se um dia fostes traidor o tempo já foi suficiente para que apagasses da tua memória o acontecimento e, porque muito fizestes muito recebeste. Foi é e sempre será assim, a cada um segundo as suas obras, pois a estrada é longa e a caminhada sempre constante. O teu maior erro não foi apenas trair, mas a quem traíste, no entanto, assim estava escrito e assim aconteceu. Todos aqueles que de mim se acercaram foi porque eu os convoquei.
O chamamento foi muito grande naquela época, o filho do homem foi traído por aquele que fazia parte dos seus mais próximos companheiros, pois muitos eram os que me cercavam, mas dentre todos aqueles escolhi doze para mais de perto percorrer comigo os caminhos de pedras e espinhos, o caminho do Gólgota. E, mesmo assim senti-me só porque uns traíram, outros fingiram não me conhecer e outros tantos dormiram quando deveria ter ficado orando e vigiando até que o dia do calvário se aproximasse uma vez que ele viria de qualquer jeito.
A caminhada foi longa para ti. Caístes por diversas vezes, no entanto agora caminharás por alamedas floridas onde só o amor por ela transita e faz a sua morada.
Agora que a tua hora chegou de empreender nova jornada mergulharás outra vez no corpo de carne para ajudar a muitos que por ti aguardam no sentido de fortalece-los nas lutas que enfrentarão.
Por isso, através dos séculos, tudo foi se renovando e dando surgimento a novos fatos que deixariam a todos embevecidos de verem tanto amor ser distribuídos por aquele que foi o perseguido e que, no entanto, os fatos mostraram que nada devia e que sempre será o salvador daqueles que seguirem o seu exemplo exercitando o que deixou no seu evangelho de luz.
Os perseguidores de ontem são os esclarecidos de hoje e acima de tudo aqueles que já aprenderam que o perdão cobre a multidão dos pecados.
Atitudes várias foram tomadas erradamente contra todos aqueles que O seguiram naquela época apenas por fazerem esses, parte da minoria, quando nem sempre a maioria está com a razão, pois Ele provou que estava com a verdade mesmo que a maioria pensasse o contrário.
Os lamentos, já dissemos, foram muitos, no entanto, nem um ceitil restou sem que fosse ressarcido. Todos os débitos foram zerados até que a resolução se fizesse com saldo positivo.



NOTA: Esta narrativa foi transmitida por partes e teve continuidade em 11/ 02/ 2007 e 30 / 03/ 2007


06/05/2007-Estava me sentindo muito só com relação a essas realizações e então Deus e Jesus me concederam mais essa dádiva. Nesse momento captei intuitivamente: Sigas em frente, pois é assim que precisa ser. 
 

Irmãos em Cristo em missão reveladora.


 
*****************

Nenhum comentário: